sábado, janeiro 10, 2009

A minha mãe, e a sua realidade... que é alternativa à dos outros

Felizmente, não sou a única a ter uma mãe, capaz de fazer o impensável, cair quando é impensável, dizer as maiores merdas quando é impensável, e ainda se rir da sua figura. Vá lá! Nisso nenhuma de nós falhou, já que todas temos histórias suficientes para contas sobre as nossas mães, durante uma noite inteira.

Ontem ligou-me, e tivemos esta conversa:

-Tixinha?! Onde estás?
-A caminho de casa da Rita, porquê?
-Por nada. Olha...
-Diz...
-Já ouviste falar no Mamma Mia?
-...............Já..............
-Podiamos ir ver ao cinema...
-Eu acho que tenho o filme em casa, a não ser que não esteja comigo.
-Mas podiamos ir ver ao cinema...
-Mas acho que não está no cinema.
-Está. Vi agora na televisão e está em estreia.
-Mãe, o filme já estreou à meses...
-Foi? Mas está a dar agora a reportagem da estreia cá em Portugal...
-Pronto. Vou ver se ainda está no cinema.
-Vê isso filhinha, está bem?! E vamos as duas.
-Está bem.
-Tem actores muito conhecidos...

E pronto. Descobri que a minha mãe, para além de ter uma rosa dos ventos no indicador direito, viaja no tempo.

É impossível não ter orgulho de uma mãe assim. Uma mãe que está no quarto dela, que é colado ao meu, e manda-me mensagem a dizer que está a comer batatas fritas!

1 comentário:

Joana disse...

É por isso que somos amigas, temos as duas maes que so falham.

A tua manda-me sms do que come, a minha manda-me sms a pedir para lhe levar comida ao quarto! É parecido. :D

Já agora, O MAMMA MIA É FIXE.Juro.