sábado, outubro 20, 2007

Uma pessoa fica uma semana de férias, chega ao trabalho e tudo está mudado!

-Patrícia, vais ficar com os pendentes de engenharia.
-Eu?! Mas porquê eu? Oh! Mas eu não quero.
-Foste avaliada e toda a gente achou que eras a mais qualificada para eles, produtiva, responsável, organizada, pro-activa...
-Oh! Está bem, então.

E agora trabalho o dobro, e pagam-me o mesmo. Nada mal. É assim que se começam as grandes carreiras... penso eu! :|

Todos os dias me perguntam "então? estás a gostar?", e já me disseram que fico tão absorta naquilo, que nem presto atenção a coisas como um colega meu dizer que depila as virilhas! Que falhado! *L*

Sinto-me a perder a vida... Viver para aquela merda, e pensar que até gosto dos pendentes de engª!

quinta-feira, outubro 11, 2007

Life is a highway I wanna ride it all night long.

Já há algum tempo que não escrevia aqui os meu falhanços, e até tive vergonha de contar a noite em que me foi mostrada a porta de saída do LaMovida, até porque eu não vou ao LaMovida!!!

Ontem lá fui alegremente comer uma fatia de bolo de anos da minha sobrinha, ao que mais uma vez confirmei que aquela miúda é um cromito jeitoso! Mandei-a trincar a vela e pedir como desejo que eu tenha dinheiro para a prenda de natal dela (a de anos foi um tombo!), ao que ela alegremente TRINCOU MESMO a vela! Acredita na força dos desejos, de facto.
Chegada a casa, eu e a Fuá resolvemos ir comer um geladinho á bomba, mas logo resolvi que deviamos ir a uma bomba qualquer em leça, porque quando ando a remoer qualquer coisas, conduzir é o que me safa. Quando demos por ela, estavamos a caminho do nosso Passeio dos Tristes, e foi aí que tudo começou...

Chegadas a "angeijas", estacionar o super xoninha em frente às escadinhas de sempre (as que nos fazem pensar na vida, e dizer que tudo é uma merda, e depois acontecer algo de muito estranho que nos faz ir até casa a rir...), e diz a Fuá:

-Vamos aquele cafézinho comer qualquer coisa... uma sopinha!
-Tá bem!!!
-Ei... Tem um passeínho da fama e tudo... (deveria ser um presságio!)

Valentemente lá chega ela à porta, e começa a rodar a maçaneta sem qualquer sucesso. Antes que ela começasse ali a bater ao vidro e a pedir que a deixassem entrar, ou então levar aqui a peito, e começar aos encontrões de arrombamento, tive a mão do meu anjo da guarda, que me fez olhar para o lado, e ver outra porta... Era aquela.
O erro é sempre cometido quando achamos que depois de entrarmos em algum lado, virar costas e deixar toda a gente a olhar, é pior que de facto continuarmos com os nossos planos.
Deparamo-nos um restaurante algo fancy, com 8 pessoas a jantar... homens.

F: Vou pedir uma sopinha, um paté de delicias, umas azeitonas.
T: Mas só vais comer entradas?!?
F: Só há carne e peixe, que queres que coma? Posso pedir uma saladinha de tomate...! :]
T: Deixa-me ver o que vou comer...

E aquilo era tudo dos 20€ para cima... Assustada:

T: Vou pedir um creme de marisco, paté de atum, e como azeitonas... e uma cola. E seja o que deuz quiser. Somos sempre a mesma merda... Passamos a vida a falhar. Que vergonha!

Lá vem o empregado... "Já escolheram?"
F: Heeeeeeeee... Tem lumes?! (tentativa de ganhar tempo!)
E: E então? Escolheram?
F: Sim.
T: Queria um creme de marisco... paté de atum...
F: Um creme de legumes...
E: Não temos creme de marisco, nem patés.
F: Tixa, come de legumes!
T: Dois cremes de legumes... E azeitonas? Tem azeitonas?
E: Sim.
T: Dois cremes, um prato de azeitonas, e duas colas... E é só!

Vergonha total instalada, lá se ligou á Joanedo a contar o degradante momento, já a tinhamos imaginado ali de perninha engessada e pendurada na outra mesa, com uma atitude à patron, e a pedir "ora bénhe... pra minhe é uma musse... Num teinhe? Atoum que tem de sobremesa?"

J: Diz à minha irmã para fugir daí depressa, que Angeiras contigo é perigoso! *riso de quem se lembra de algum momento de pura vergonha, desespero, e pixelaria*

Chegaram as sopas, as colas, as azeitonas... "Jantamos" e fomos alegremente pagar... quase 9€.

Lá estava o super xoninha à nossa espera, e como ele não queria ir para casa, tivemos a brilhante ideia de ir a cantar "EI NÁU EI NÁU... DONTE DRIME ITES OUBER", e quando estavamos a chegar à BêCêieie, viramos para o sentido de Gaia, e zás... A ideia!

T: A A29 não tem portagem...
F: Apetece-me ouvir a Hungry Eyes...

Bonnie M a recordar Salamanca, Rap dos Matarruanos, Electric Dreams, e lá vem ele... O cd Música de Biage, compilado por mim, com todas as nossas músicas de Vê Se Te Ouvem Do Outro Lado Da Estrada Contest. E descobrimos de facto que aquilo é a auto-estrada perfeita, porque aquilo tem um rotunda... Dar a volta é muito fácil!
Chegadas a red river...

F: Passeio dos Tristes Extended Version!
:D Impecável!
E lá passamos as duas uma noite, em que ir para casa não era a opção, e foram exorcisadas algumas questões incomodativas.

quarta-feira, outubro 10, 2007

Paixões platónicas...

São sem dúvidas as melhores, quando não são problemáticas.

Olhamos para ele e pensamos "é tão fofinho..." mesmo que ele esteja num acto completamente falhado. E jamais achamos o acto falhado de um namorado, fofinho. Tratamos mesmo da situação com um "qu'esta merda? loooooooser!", e pensamos porque gostamos dele.
Então resolvi falar da minha paixão platónica, aquela com quem nem quero tentar nada, com medo que estrague.

Sempre que olho para ele penso, é a coisa mais sexy, mais charmosa e mais sensual que existe. Até a forma como ele usa aquele cabelinho... sempre a precisar de um corte...
Cada movimento, cada sorriso, é capaz tanto de me intimidar, como de derreter...
Era capaz de ficar a olhar para ele, durante horas, a pensar como ele é fantástico... ali, fascinada.

terça-feira, outubro 09, 2007

A Joanedo esmerdou-se! :]


Fui prestar a minha visitinha, e até chiclates levei!

domingo, outubro 07, 2007

Começamos muitas vezes a fazer as coisas, sabemos que está errado, mas não conseguimos parar. Nada o permite que se pare. Nada. É tudo muito mais forte que nós.
Com o tempo, deixa de nos parecer errado, porque acabamos por precisar delas. Acabamos mesmo por ter a certeza que não é errado. Depois vem o inesperado, e aguardamos as consequências... E tenho medo da consequência.